sábado, setembro 28, 2013

A OPINIÃO DO ESPIRITISMO SOBRE A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

 
Como o artigo tem o escopo de analisar o tema sob o enfoque espírita, valeria a pena perguntar: o que a Espiritualidade superior diz a respeito do assunto?
 
No livro Atualidade do pensamento espírita,1 ditado pelo Espírito Vianna de Carvalho, através da mediunidade de Divaldo Pereira Franco, há a seguinte pergunta:
 
[...] A legislação penal aplicável às crianças e adolescentes deve ser idêntica à estabelecida para adultos?
 
       O citado Espírito responde (trechos destacados pelo subscritor deste artigo):
A criança, que inspira ternura e amor, não obstante o período de infância que atravessa, é um Espírito vivido e quiçá experiente que traz, das reencarnações passadas, as conquistas e os prejuízos que foram acumulados através do tempo. No entanto, a criança e o adolescente, quando delinquem, devem receber um tratamento especial, porquanto o discernimento e a lucidez da razão ainda não lhes facultam a capacidade de saber o que é certo e o que é errado, sendo facilmente influenciados para esta ou aquela atitude.
Como consequência, devem ser-lhes aplicadas legislações próprias, compatíveis com o seu nível de crescimento intelectual e moral.
A preocupação precípua, no entanto, deverá ser sempre a de educar, oferecendo-se os recursos necessários para que sejam evitados muitos dos delitos que ora ocorrem na sociedade ainda injusta.
Quando, porém, acontecer-lhes o desequilíbrio, é necessário que se tenha em mente sua reeducação, evitando-se piorar-lhes a situação, assim transformando-os em criminosos inveterados, em razão da promiscuidade vigente nos Institutos Penitenciários e nos Presídios comuns ora superlotados, e quase ao abandono.
 
Leia o artigo completo AQUI.

Um comentário:

Jefferson Merlin Baggio disse...

Parabéns pela sua preocupação em não apenas postar ideias pessoas, mas também procurar a avaliação sobre óticas muito superiores as nossas.